Como a alta do IGP-M afeta a sua vida

28/10/2021

Como a alta do IGP-M afeta a sua vida

Alta IGP-M

Em setembro de 2021 o IGP-M acumulou alta de 16,00% no ano e de 24,86% em 12 meses. Apesar de estar desacelerando no curto prazo, o preço das commodities vêm pressionando o indicador. Mas afinal de contas, o que é o IGP-M e qual a importância dele nas nossas vidas? Essas são algumas das perguntas que responderemos neste artigo.

O que é o IGP-M?

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), é um índice divulgado pela FGV e tem a função, de forma mais abrangente, de medir a variação de preços. A sua diferença, comparado a outros índices de inflação, se dá pela forma como é calculado, englobando etapas da cadeia produtiva e não somente o preço do produto ao consumidor final

Por contar com essa diferença, o índice IGP-M tende a não ficar próximo ao IPCA, por exemplo, que é o indicador oficial de inflação no país. Isso ocorre, pois o IGP-M trabalha com uma base mais ampla, é mais fortemente influenciado por variação no dólar, por exemplo.

Composição do IGP-M

O IGP-M é composto por três indicadores, sendo estes: IPA-M (Índice de Preços ao Produtor Amplo do Mercado), IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor-Mercado) e INCC-M (Índice Nacional do Custo da Construção-Mercado).

O IPA-M, que possui peso de 60% do IGP-M, refere-se aos preços de produtos industriais e agrícolas no setor de atacado, como a cana-de-açúcar e o minério de ferro, por exemplo. Seu objetivo é monitorar os movimentos dos preços do comércio atacadista.

O IPC-M, responsável por 30% do peso total, se fundamenta nos preços de bens e serviços que compõem as despesas familiares, como alimentação e habitação. Portanto, o índice tem como objetivo medir o comportamento dos preços atrelados ao poder de compra do consumidor.

Por último, o INCC-M, com peso de 10%, se refere aos custos relacionados ao setor de construção, incluindo materiais e até a mão de obra, buscando avaliar a movimentação do custo para construção de moradia no país.

Como o IGP-M afeta a sua vida?

O IGP-M pode impactar a sua vida, pois ele é o principal parâmetro de reajuste em contratos de aluguel de imóveis e tarifas públicas. Portanto, como a sua volatilidade é maior do que a apresentada pelo IPCA, esses contratos tendem a aumentar mais que a inflação oficial do país.

Supondo que você tenha alugado um imóvel pelo valor de R$ 1.000,00 em setembro de 2020, e o seu contrato possua uma cláusula de reajuste de preços atrelada ao IGP-M que é renovado em setembro de cada ano. O valor que você passaria a pagar a partir de outubro/21 seria de aproximadamente R$ 1.124,87, ajustado pela alta de 24,87% acumulado em 12 meses.

Conclusão

Portanto, o IGP-M se diferencia ao possuir uma base ampla de cálculo, sofrendo grande influência da variação no dólar refletida em preços de insumos e matérias-primas, devido a importância da cadeia produtiva no índice. A alta do dólar leva, por consequência, a uma alta do IGP-M, que exerce influência sobre preços de contratos imobiliários, aumentando o custo de habitação. Como locatário, você pode negociar a mudança do indexador de reajuste – para o IPCA, por exemplo – caso o reajuste, proposto pelo IGP-M, esteja pressionando o seu orçamento. Não é garantido que o proprietário vá aceitar, mas vale a tentativa.

 

Assuntos relacionados